RSS

Shinkansen reduziu a velocidade e parou a salvo graças à detecção precoce em Miyagi

20 maio

Condições de funcionamento do Touhoku-Shinkansen (trem-bala da Linha Touhoku) no momento em que ocorreu o grande terremoto a costa leste do Japão.

 

Segundo as análises efetuadas pela JR Leste do Japão, o sistema de detecção precoce de terremotos do trem-bala da Linha Touhoku (Touhoku Shinkansen ) instalados na costa do Oceano Pacífico emitiu alerta de emergência de 12 a 73 segundos antes de fortes tremores alcançarem  ao longo da ferrovia.

Haviam 5 trens operando na área atingida, numa velocidade a cerca de 270 km/h, porém o fornecimento de energia foram suspensos e os freios de emergência acionados antes de ocorrer os tremores com intensidade acima de 5 graus. A redução de velocidade estimada foi de 30 a 170 km, parando com segurança todos os trens.

Segundo a JR Leste do Japão, o sismógrafo instalado em Kinkasan (Cidade de Ishinomaki/Miyagi) captou o movimento sísmico principal (ondas S) acima de 120 Gal às 14:47:03, emitindoas informações como o epicentro e o tamanho do terremoto para os sismógrafos de cada subestação ao longo da ferrovia. Na ocasião haviam 18 trens operando entre Tóquio – Aomori e dentre estes, entre Shinshirakawa (Fukushima) – Ninohe (Iwate) onde foram duramente atingidos, haviam 10 trens operando e 5 estavam com velocidade acerca de 270 km/h.

Entre o momento da suspensão de fornecimento de energia e o acionamento dos freios de emergência há um intervalo de 3 segundos, mas o [Yamabiko No 61] que estava operando a 265 Km/h  nas proximidades de Sendai que foi atingido por terremoto fortíssimo, iniciou a redução de velocidade para a parada de emergência 9 segundos antes de ser atingido pelo tremor mais agudo, tendo reduzido 30 km da velocidade.

Além deste, o [Yamabiko No 63] que estava operando a 270 k, nas proximidades de Koriyama em Fukushima, o freio de emergência foi acionado 70 segundos antes, reduzindo cerca de 170 km. Já o [Hayate No 26] que estava nas proximidades de Nihonmatsu em Fukushima, onde a aceleração do sismo chegou a 690 Gal, reduziu de 270 km para cerca de150 km/h.

A aceleração máxima do sismo foi observado entre o Planalto de Kurikoma (Miyagi) e Ichinoseki (Iwate) onde o sismógrafo de Shin-Arikabe registrou 1.278,7Gal e que depois disso a agulha extrapolou ficando impossibilitado de efetuar a medição.

A JR Leste do Japão solicitou avaliação mais detalhada aos especialistas, por terem chegado à conlusão nas suas análises, de que o mecanismo de geração e a magnitude do terremoto foi muito além do esperado, tendo grandes possibilidades do sismógrafo não ter captado as ondas P (tremores iniciais) que são emitidas primeiramente, por terem sido fraquíssimas. A detecção das ondas S, antes de serem atingidos por fortes tremores intermitentes é que levou ao sucesso.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 20/05/2011 em Diversos

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: